segunda-feira, 14 de julho de 2008

Viagem ao Centro da Terra


Quando eu vi a divulgação do filme "Viagem ao Centro da Terra" (Journey to the Center of the Earth, EUA, 2008) me decepcionei. O longa que prometia uma adaptação ao célebre livro de Julio Verne estava completamente modificado! Ao invés do guia brutamontes, uma bela mulher. E no lugar do professor velho, porém sábio Lidenbrock, um galã ao estilo "como sempre em Holywood". Foi com pesar que comecei a responder a todos que me perguntavam se eu iria ver o filme, o que eu estava achando... minhas expectativas diminuíram muito, mas eu não tinha lido nenhum crítico, até aquele momento, falar mal do filme. Todos elogiavam os fantásticos e inéditos efeitos especiais mas muitos nem lembravam a facada que o diretor novato Eric Brevic havia dado na história original. Será que só eu tinha lido o livro? Será que só eu me indignava com uma falta de fidelidade tão gritante?


Eu não havia me dado conta, porém, que o filme não estava relatando o que Verne havia escrito há 144 anos atrás, mas sim, a uma nova aventura ocorrida no nosso século, às entranhas do nosso planeta. E isso fica claro no filme com a presença de aparelhos celulares, carros e computadores, básicos para sobrevivência de qualquer um nos dias de hoje.

No longa, Brevic dirige a aventura do professor Trevor Anderson (Brendan Fraser. "A Múmia") que encontra um livro do falecido irmão e cientista Max: Viagem ao Centro da Terra. No livro, Trevor se intriga com anotações feitas pelo irmão no ano de seu sumiço e passa a investigar.

Seu sobrinho Sean (Josh Hutcherson. "O Expresso Polar") estava passando alguns dias em sua casa. Sean é filho de Max. Os dois então empreendem uma viagem ao vulcão onde Verner conta em seu romance que o professor Lidenbrock havia encontrado um caminho para o centro da Terra. Para ajudar na caminhada, a guia de montanhas Hannah (Anita Briem) é o braço direito. Acabam soterrados numa caverna do vulcão e encontram sem querer o caminho relatado por Verner em sua história fantástica.


A todo instante, os personagens do filme tomam como referência o que o autor francês conta sobre a empreitada do professor Lidenbrock. Os perigos tendem a ser os mesmos do romance. Assim como os lugares e aventuras, mas vividos por outros personagens, com objetivo diferente e em outra época.


Esse filme era exatamente o que eu estava precisando para suprir minha sede de boa aventura fantástica que a tanto tempo eu estava órfão. Ele é excelente em matéria de fotografia e efeitos visuais. Pra quem tiver a oportunidade de ver o filme em 3D (disponível em algumas salas de cinema no país) é uma pedida melhor ainda e a emoção vai ser ainda mais incrível.

E eu estava errado na minha decepção. Não era a aventura de Axel e seu tio Lidenbrock. Isso me fez dar bons créditos ao filme. Claro que ele não é tudo aquilo que podemos esperar. Ele é previsível, tem um humor por vezes sem graça e é curto demais pro tamanho da aventura. Mas no geral não deixa a desejar. A galera que trabalhou nele teve um trabalho, sem dúvida, muito penoso e eu estou curiosíssimo pra ver o DVD om os extras e saber como eles criaram aqueles ambientes. Segundo o diretor, a idéia era dar um ar de realismo, onde ficasse a impressão que as gravações haviam sido feitas em locações e não com efeitos. Tá certo que ficou tudo muito bom, mas dar a impressão que é locação, pelo menos a mim, não deu.


Mas fica aqui a dica. Pra quem gosta de uma boa aventura, uma história empolgante e muita fantasia, leia o livro de Júlio Verne. Depois, o filme. E aproveite. É inegavelmente recomendáel.
obs.: O Novo Reinado está atualizado. Lá é registro do Andarilho em sua terra verdadeira: Tedawer Lorcb. Quem for lá vai entender um pouco de como é esse mundo paralelo e imaginário. Tem bastante coisa pra ler! Se vocês quiserem passar lá, também vou ficar bem feliz!

3 comentários:

Super Nada disse...

Bom... não pago para ver comédias, então é bem dificil que eu me desloque até o cinema para ver essa anima (sim, porque no trailer mais parece cinema de animação), deve esperar até passar na TV ou algum amigo alugar. Porém é valida sua dica...

Mary West disse...

Olha vale a pena assim? Sério mesmo? Pq nem sabia desse filme ó, Batman engoliu todos, ou melhor o coringa neah? :D

Grahan disse...

Realmente. O Batman tá fodão. Qualuqer coisa, se me der na telha, eu falo dele aqui também...